Amor e química: estamos todos viciados?

Amor e química: estamos todos viciados?

Descubra as diferenças e semelhanças entre o amor e o vício de acordo com a química do amor!

  • Atualidade
  • Editor-choice
  • Casal

Amar e se apaixonar são sensações extraordinárias para os seres humanos. Estes sentimentos são tão surpreendentes que até mesmo a ciência dedica tempo a pesquisar melhor suas causas e efeitos. Os curiosos (e nem sempre românticos) cientistas querem saber se é verdade que o amor dura para sempre. E por que gostamos tanto de beijar? Para entender ainda melhor como as emoções agem sobre o corpo humano, pesquisadores analisaram a química do amor e descobriram que ele pode ser facilmente confundido com uma droga! Descubra agora o porquê e, acredite, estamos todos viciados!

Veja também: Cientista afirma: casar é melhor do que só morar junto!

salvarGaetano Clemente Photographer
Gaetano Clemente Photographer

O amor vicia

É um fato inegável: todos nós queremos amar e ser amados. Quem nunca experimentou essa sensação de borboletas no estômago, de euforia e felicidade incomparável? Certamente você sabe do que estamos falando. Segundo o Albert Einstein College of Medicine, a explicação para isso é bem simples. No amor, quando a nossa dosagem de sentimentos termina, as consequências são devastadoras: tristeza, desânimo e depressão. Sabe por quê? É uma questão de hormônios!

A ciência confirma o que a gente já sabia! Casamento faz muito bem à saúde: pesquisa recente confirma!

salvarDanilo Máximo FotografiaSaiba mais sobre “Danilo Máximo Fotografia”
Foto: Danilo Máximo Fotografia

Abraços carregados de oxitocina

Não perca as últimas novidades para o seu casamento

Assine nossa newsletter

A oxitocina é o famoso hormônio que age alterando as conexões de circuitos neurais. Segundo os especialistas ela ajuda a criar laços permanentes entre os amantes após a primeira onda de emoção. Uau! Liberado em grandes quantidades durante o orgasmo e em pequenas doses com carícias, abraços e quando você e seu amor caminham juntinhos de mãos dadas. É uma substância endógena (produzida pelo corpo) que atua como uma substância exógena (droga ou medicamento ingerido) e que ativa a produção de outros neurotransmissores, gerando uma cadeia de emoções nem sempre positiva. Isso mesmo! A oxitocina também é o hormônio do ciúme: nosso cérebro considera cada perda como uma ameaça potencial, ativando a produção de cortisol, responsável pelo medo. É por isso que, às vezes, tememos o pior!

Veja que lindos os 5 momentos íntimos que UNEM muito mais que o SEXO!

salvarDanilo Máximo FotografiaSaiba mais sobre “Danilo Máximo Fotografia”
Foto: Danilo Máximo Fotografia

Euforia com a dopamina

A dopamina é um neuro hormônio liberado pelo hipotálamo, responsável pelo aumento da freqüência cardíaca e da pressão arterial. Quando nos apaixonamos, a dopamina nos faz sentir eufóricos e cheios de energia, mas quando o estímulo externo (de drogas) ou internos (oxitocina) são menores, surgem os efeitos colaterais da abstinência! Snif, snif…

A síndrome das mãos suadas

Se você ainda se lembra das suas aulas de Biologia, sabe que a noradrenalina é um neurotransmissor semelhante à adrenalina, assim com os seus efeitos. Uma espécie de hormônio do estresse que faz o coração bater mais rápido, aumenta a pressão arterial e, para oxigenar o sangue, deixa nossa respiração ofegante. Ela é a responsável pelas mãos suadas e as bochechas coradas que percebemos nos primeiros encontros.

salvarLuís Leal PhotographySaiba mais sobre “Luís Leal Photography”
Foto: Luís Leal Photography

Serotonina, sua linda!

Você já reparou como as pessoas mais confiantes também são as mais atraentes? É um efeito direto da serotonina, um hormônio que é estimulado pelo sentimento de respeito e de pertencimento; aqueles que sentem amor e admiração pelos seus parceiros produzem mais serotonina. Esta substância é responsável pelo bem-estar, gera otimismo e nos torna mais sociáveis, ajudando a inibir impulsos agressivos e raiva. Quando os níveis de serotonina são baixos bate a depressão e a paranoia, combatidas com pensamentos positivos e, em casos mais graves, com prescrição médica.

Confira nossa lista de 7 lugares pouco habituais (mas deliciosamente românticos) para um encontro…

salvarAlexandre Bozo FotoJornalismoSaiba mais sobre “Alexandre Bozo FotoJornalismo”
Foto: Alexandre Bozo FotoJornalismo

Amor e vício não são a mesma coisa

Assim como com aqueles que fazem uso de medicamentos ou drogas durante longos períodos de tempo, o mesmo pode acontecer com o excesso da liberação desses hormônios. A mesma dose de antes já não é suficiente e não gera os mesmos efeitos. Muitas pessoas interpretam este passo como um momento de crise, quando os receptores neuronais realmente se acostumam com a dose! Quando dizemos que o verdadeiro amor é uma escolha significa também voltar ao fluxo normal e recuperar a estabilidade necessária para atravessar um processo de recuperação e restaurar o equilíbrio com o parceiro! Por isso, nada de pensar que você pode viciar de tanto amar. Curta suas paixões sem medo e tenha apenas um pouquinho de moderação para viver tudo intensamente e na dose certa!

Escolha os fornecedores que você quer contatar.

Luís Leal Photography Fotógrafos para casamentos
Danilo Máximo Fotografia Fotógrafos para casamentos
Alexandre Bozo Fotojornalismo Fotógrafos para casamentos
Marcos Pecorari Fotógrafos para casamentos