Verdade ou mito: ciúme moderado faz bem para o casal?

Verdade ou mito: ciúme moderado faz bem para o casal?

Você se considera uma pessoa ciumenta? Mas afinal, o ciúme em doses moderadas faz bem para o relacionamento? Veja se é verdade ou mito: ciúme moderado faz bem para o casal?

  • Vida a dois

“Ciúme é o perfume do amor” – Disse Vinicius de Moraes. Mas você concorda com isso?

Segundo María Martina Casulloa,  doutora em psicologia que dedicou toda a sua vida a pesquisas científicas sobre a evolução psicológica do ser humano no CONICET (conselho nacional de investigações científicas e técnicas), pasmem, mas: o ciúme moderado pode ser o perfume do amor, sim!

salvar
Foto: Sweetcandie Photography

De acordo com Casulloa o ciúme revela sabedoria emocional e serve como mecanismo de defesa e de proteção do casal.

“Não existe nenhuma dúvida que o ciúme excessivo pode chegar a ser destrutivo e patológico, mas os sentimentos moderados atuam como um sinal de compromisso e interesse pelo outro e pela proteção do casal”.

salvarSaiba mais sobre “Photos Boutique”
Foto: Photos Boutique

Não perca as últimas novidades para o seu casamento

Assine nossa newsletter

Nada é tão ruim para a convivência do casal do que a indiferença em relação a possíveis vínculos que o outro possa vir a ter. Mas onde está a linha divisória entre cuidado e carinho, e ciúme patológico?

Se o seu botãozinho do ciúme se ativa em situações realmente perigosas (seu marido/mulher está sendo assediado por outro/a na sua frente), então você está de parabéns! Segundo a Dra. você está simplesmente preservando a sua relação e demonstrando a sua sabedoria emocional.

salvarSaiba mais sobre “" src="https://asset2.zankyou.com/images/mag-post/f18/0779/685//-/br/wp-content/uploads/2015/03/olhar-em-foco-preto-ebrancio.jpg”
Foto: Olhar em Foco

Agora, se você notar que ele aparece em momentos nada a ver e sem nenhum motivo, ou que faz com que você faça coisas que não deveria – pense 10 vezes antes de mexer no celular do seu amor! – você pode estar sendo vítima do ciúme patológico e este sim, pode destruir a sua relação.

Para averiguar se você é uma possível vítima deste vilão, responda a estas 5 perguntas, sinceramente:

1. Você é seguro de si?

2. Você acredita que o seu companheiro é superior a você e que tem mais possibilidade de encontrar outro amor?

3. Há casos de ciúme patológico na sua família?

4. Algum membro da sua família ou um amigo íntimo foi traído?

5. Você já sofreu infidelidade em outra relação?

Se você respondeu sim às 5, você pode estar sentindo ciúme excessivo, porém, para tudo existe remédio, é só ter consciência do problema, dar a volta por cima e se necessário, buscar ajuda com um psicólogo ou médico.

salvar
Foto: W. Gontijo

No filme “L´Enfer”, traduzido no Brasil como “Ciúme, o inferno do amor possessivo” do cineasta Claude Chabrol, François Cluzet, o ator que interpreta o marido ciumento patológico, não para de imaginar a sua belíssima esposa, interpretada por Emmanuelle Béart, em situações absurdas com outros amantes fictícios.

Pode parecer coisa de filme, mas este é um comportamento muito habitual durante as crises de ciúme: “E se ele estiver tendo um caso com alguém do escritório?” ou pensamentos ainda mais irreais: “ela foi comprar um sorvete e conversou com o homem que estava ao lado,  quem sabe se eles já não se conheciam?”

salvar
Emmanuelle Béart em "L´enfer". Foto: France 3 Cinéma

Para driblar este tipo de ciúme, a primeira coisa a fazer é deter os pensamentos fantasiosos antes que eles comecem a se dirigir ao absurdo. Tentar  deixar a mente em branco ou procurar alguma distração que requeira muita atenção, como por exemplo ver um filme, praticar esportes ou ler um livro, podem ser boas pedidas.

Outra terapia ótima para conter o cérebro, quando ele começa a enlouquecer com o ciúme, é colocar um pouco de humor na situação que está sendo imaginada:

Imagine o seu amor e a possível ameaça. Siga imaginando até que a situação pareça realmente absurda ou até que você note o quão irreal ela é.

É importante não esquecer nunca quem somos de maneira independente e ter muito claro alguns pontos fundamentais para sermos felizes tanto sozinhos, como acompanhados. E pensar que há muitas coisas que jamais devemos abandonar por um relacionamento.

Devemos lembrar, sempre,  que a nossa autoestima é a responsável por quase todos os sentimentos de inferioridade ou superioridade que podemos chegar a sentir, portanto, ao cuidar a nossa autoestima, estaremos também, protegendo a nossa relação.

Se você foi pedida em casamento e ainda não decidiu se “casa ou compra uma bicicleta”, não deixe de responder às 10 perguntas fundamentais para se fazer antes de casar!

Escolha os fornecedores que você quer contatar.

Photos Boutique Fotógrafos para casamentos
Olhar em Foco Registro de Amor Fotógrafos para casamentos
W. Gontijo Fotógrafos para casamentos